“Só porque fiz asneira, agora qualquer coisa que aconteça, acham logo que fui eu.”

 

Este é um desabafo que todos conhecemos – daquele que está a tentar mudar e se sente injustiçado porque ninguém mais acredita nele… ou daquele que quer simplesmente que os outros baixem a guarda para voltar a enganá-los. Sem dúvida que a falta de confiança dos outros reduz a motivação para mudar mas, se quebraste a confiança de alguém, precisas de ter consciência de que a recuperação dessa confiança é um processo.

 

Saldo negativo

A nossa análise de cada atitude ou situação tem a ver não só com o evento do momento, mas com tudo o que já aconteceu até aí. A nossa reação perante alguém, é influenciada pelas situações que já vivemos com essa pessoa. Então, se já aconteceu alguém ser enganado ou prejudicado por ti, é natural que espere que o voltes a fazer.

Na prática, se já fizeste algo de grave a outra pessoa, é como se o teu saldo estivesse negativo. Tens que fazer muito mais, que te esforçar mais, do que se estivesses no zero, no neutro. Isso não significa que, se fizeste algo errado, vais ficar marcado para o resto da vida. A restauração é possível, mas é um processo.

 

O que fazer?

Sem dúvida que uma das opções é continuares a fazer errado – “já que ninguém acredita em ti, não vale a pena esforçares-te”. Mas essa opção tem custos. Não é neutra. Ela vai manter e agravar a tua “fama”, impedindo-te de desenvolveres um ambiente de proximidade e confiança. Para além disso, a quebra de confiança como estilo de vida, é algo muito destrutivo não só para os outros mas também para ti próprio.

Muitas pessoas pensam que enganar os outros é ser mais esperto ou que é parte do seu “charme” pessoal. Não é! Enganar é simplesmente viver uma vida de baixo nível.

Sempre podes mudar e recomeçar, mas quanto mais longo for o caminho destrutivo, mais longo vai ser também o caminho de volta, de reconquistar a confiança dos outros.

 

Como merecer de novo?

É um desafio. Implica fazeres o que é certo, mesmo que ninguém acredite; continuares a agir correto, mesmo que ninguém reconheça.

E o maior desafio ainda, é resistires à tentação de fazeres mesmo errado, quando todos esperam que o faças.

Mas quando começas a mudar as tuas atitudes, com o tempo, o caminhar pelo lado positivo vai-se tornando mais fácil e até mais natural.

 

Resiliência

Uma área importante em qualquer tipo de mudança, é o desenvolvimento da resiliência. Esta tem a ver com a capacidade de estares bem, mesmo quando as coisas não estão como queres. É uma decisão. Podes estar bem mesmo que os outros (ainda) não acreditem em ti. Então fica mais fácil agires bem porque isso é bom, em vez de ser simplesmente para teres a aprovação dos outros. Esta é uma mudança mais sustentável a longo prazo, quando não dependes da motivação que recebes de outros mas da tua determinação em criar um percurso de vida diferente.

 

No próximo artigo vou falar para quem foi maltratado.