Todos sabem como produzir adrenalina. É igualmente fácil produzir endorfinas.

 

Muitas vezes escolhemos ou provocamos o que é pior para nós, ou o que não queremos. Mas podemos desenvolver a capacidade de optar pelo que é melhor para nós. Isso não é inato. Poderíamos até dizer que é contra natura. Mesmo nas pessoas mais inteligentes com quem tenho trabalhado, nas mentes mais brilhantes, há uma constante auto-sabotagem, um constante provocar os resultados que não se quer.

Se leste os dois artigos anteriores, já percebes que isso se deve bastante a um equilíbrio bioquímico mais negativo e o papel que o cortisol tem nesse desequilíbrio.

 

Substituição, uma ferramenta eficaz

Em counselling, nós não focamos no que não queremos, nem sequer para o eliminar, mas no que queremos, no que vamos usar para o substituir. Nós não queremos viver com o nosso organismo cheio de cortisol a tempo inteiro. Isso tem várias consequências muito negativas e pouco proveito. E vamos substituí-lo por quê? Pelas hormonas positivas, como as endorfinas, a serotonina e outras. Estas hormonas, para além de aumentarem o nosso bem-estar, também facilitam toda a atividade mental e cognitiva, tornando-nos pessoas não só mais felizes mas com um melhor desempenho, tanto no trabalho como a nível de comunicação, relacionamentos, etc.

 

Produzir endorfinas

Ao contrário do cortisol e da adrenalina, as endorfinas são produzidas em maior quantidade quando vivemos num cenário mental positivo. Não é viver num modo “optimista”, mas sim numa atitude realista, que tem consciência do que nos rodeia mas que desenvolve e usa a capacidade de escolher o positivo.

Na prática, como podes fazer isso? Começa por usufruir das pequenas coisas. O toque do sol na pele; a paisagem que vês à tua volta (não digas que não tens uma paisagem bonita! Em vez disso, aprende a identificar a beleza, mesmo nos sítios mais improváveis!); os sons que ouves, o canto dos pássaros, o soprar do vento, o riso; o sabor dos alimentos, os cheiros, … Alarga a tua consciência, no aqui e agora, identifica o que tens de positivo na tua realidade neste momento, e usa esse positivo para recarregares as tuas baterias, para alterares o teu equilíbrio bioquímico. Identifica coisas que já fazes no teu dia a dia, como o percurso para o trabalho, o duche, o café ou chá que tomas, o passear o cão, regar as plantas, e começa a usar esses momentos para fazeres uma pausa mental, um desligar dos pensamentos e ficares apenas no nível da consciência, usufruindo dessas pequenas coisas. Torna isso um hábito, ao longo do dia, ir usufruindo de coisas simples ao nível dos sentidos. Começa a produzir os teus próprios bioquímicos positivos, em vez de os comprares na farmácia e tomares.

Em http://www.lisboacounselling.com/index/, podes encontrar uma série de artigos sobre Mindfulness, que desenvolve um pouco mais esta ferramenta.

 

Simplista?

Pode parecer demasiado simplista, mas estas são algumas das ferramentas que eu uso para promover o meu próprio bem-estar e para ajudar os meus clientes a lidarem e ultrapassarem os seus problemas, seja depressão, ataques de pânico, conflitos ou outros.

Para lidares com uma situação difícil de forma positiva, de forma a conseguires os resultados que desejas, precisas de estar quimicamente em boas condições. Os bioquímicos positivos reduzem a tua impulsividade e ajudam o teu cérebro a ter mais clareza e mais facilidade de tomar decisões ou planear; e também mais resiliência, maior capacidade de enfrentar as situações difíceis sem desabares.

Da mesma forma que um soldado antes de ir para a guerra trabalha para se colocar em boa forma, também nós precisamos de desenvolver essa boa forma em nós, seja para resolver um problema difícil, seja para lidar com os desafios do dia a dia.

O teu bem-estar está nas tuas mãos. Cultiva-o!

 

Na LisboaCounselling podes fazer este treino, acompanhado passo a passo e, em poucas semanas, sentires e verificares os resultados. Em sessões presenciais ou online, por Skype ou FaceTime.