A resiliência só se desenvolve na dor. É a capacidade de ultrapassar experiências difíceis e de ser moldado positivamente durante esse processo, que produz perseverança, caráter, resiliência.

Noção de Tempo

Quando estamos a atravessar um ”deserto”, quando estamos no meio de um problema que nos esmaga e parece impossível de resolver, é normal perdermos a perspectiva de tempo, pensarmos que vamos ficar nessa situação para sempre, que não há nada a fazer.

A mudança precisa de começar na mente. E aí, podes alargar a tua noção de tempo e perceber que esse problema, esse sofrimento, de alguma forma vai acabar. Ele não vai ficar aqui para sempre. Isso vai reduzir um pouco a pressão, a sensação de esmagamento, e permitir-te começar a mudar a tua visão do problema. Não significa que vás aceitar a tua situação (seja ela qual for), que vás permanecer lá. Mas quando não te sentes esmagado ou à mercê do problema, podes perceber que tens opções, que podes escolher como lidar com essa situação. Podes sair do modo de preto ou branco, de tudo ou nada, e perceber que há muitos “cinzentos”, muitos caminhos que podes criar e seguir.

Então, podes usar o próprio processo de saída e resolução do problema, como um tempo de treino e crescimento pessoal. Podes perceber que o problema está aqui para te ensinar algo. E quando saíres do outro lado do problema, podes ser uma pessoa diferente, de alguma forma melhor.

No entanto, o processo de aprender a lidar com um problema, nem sempre é para resolução. Muitos problemas não podem ser resolvidos como, por exemplo, determinadas doenças crónicas. Mas mesmo aqui, podes fazer alguma coisa. Podes desenvolver competências de qualidade de vida, podes encontrar e pôr a uso capacidades que nem sabias que tinhas.

Em qualquer situação, mas de forma especial em situações crónicas ou degenerativas, é fundamental focares nos recursos que tens e não nos que devias ter. Saíres do modo mental do que precisas e focares no que existe.

Um Plano Maior

Nós somos partes de um todo, de um Plano maior. Tu és parte da História da Humanidade, e cada parte tem o potencial para fazer a diferença. A tua vida é muito mais do que os desafios do dia a dia, muito maior do que as dificuldades que enfrentas. Percebe que a tua dor atual também faz parte desse Plano. A tua mente, o que percebes, as escolhas que fazes, não tem que ser controlado ou bloqueado pelos teus problemas. A tua mente pode ser intocável pelos outros. Como muitas pessoas em situações extremas, dizem: “podem destruir o meu corpo, mas não a minha mente”.

Sair do Deserto

Para saíres do deserto ou para aprenderes a viver nele, precisas de um propósito, uma determinação que te ajude a caminhar nesse sentido. Não pode ser pela simples força de “eu vou conseguir”. Isso gasta demasiada energia e é pouco eficaz.

É uma sabedoria interior que se vai resgatando e desenvolvendo. É a consciência de que, de alguma forma, podes ter “lucro” com o teu problema, podes beneficiar dele para desenvolveres a tua transformação interior — e isso ninguém tem o poder para te roubar.

Dan Allender, em “Wounded Heart”, ajuda-nos a perceber esta realidade maior, dizendo que “as garras da dúvida e os vales do desespero nos proporcionam um campo de testes, de encontro com Deus, que nenhum outro ambiente pode proporcionar”.

A resiliência aumenta a capacidade de “viver apesar de…” Não é apenas sobreviver a uma crise, mas usar o processo para te tornares uma pessoa diferente, para ti próprio e para os outros.

Resiliência pode não mudar as tuas circunstâncias, mas muda radicalmente o impacto que elas têm sobre ti.