Se consegues ter uma boa performance debaixo de stress, imagina como seria se, em vez disso, focasses na eficácia.

Muitas pessoas defendem que o stress pode ser bom, que nos ajuda a funcionar melhor. Mas, será?

Bioquímicos

O stress cria um determinado pano de fundo no nosso cérebro. Ele passa a mensagem de que há algum tipo de emergência, o que faz com que o cérebro se prepare para enfrentar um perigo, para “lutar ou fugir”. Esta preparação passa essencialmente por uma alteração bioquímica.

O nosso corpo produz hormonas consoante a sua necessidade. Quando o cérebro pensa que está numa emergência, aumenta imenso a produção de adrenalina e cortisol. Estas hormonas ajudam-nos a lutar ou fugir, a reagir no impulso, no instinto — o que seria necessário se realmente houvesse uma emergência. Mas o outro lado da moeda, é que numa emergência não há tempo para buscar sabedoria ou bom senso. Estas hormonas ajudam-nos a ser rápidos na nossa ação, mas reduzem bastante a nossa capacidade de pensar, raciocinar, tomar decisões; reduzem a capacidade de atenção, concentração e de destreza mental.

Para além disso, estas hormonas provocadas pelo stress favorecem outras emoções negativas, como ansiedade, medos / fobias, depressão, angústia, etc.

Na prática, este cocktail de bioquímicos negativos vai minando a nossa neuroplasticidade e reduzindo a capacidade de o cérebro funcionar bem.

Neuroplasticidade

O nosso cérebro molda-se a si próprio. Ao longo de toda a nossa vida, ele vai-se moldando em função do que fazemos, pensamos ou sentimos. E aquilo que exigires ao teu cérebro, ele vai tentar fazer. Se o treinas a trabalhar debaixo de pressão intensa, ele vai conseguir e vai aprender. E essa acaba por se tornar a forma como ele “sabe” funcionar, debaixo de pressão.

Qual a motivação?

Muitas pessoas acreditam que só conseguem fazer bem as coisas debaixo de pressão, por exemplo quando já estão em cima do prazo. Segundo os neuro cientistas, isto não faz qualquer sentido, uma vez que a pressão e o stress geram enormes quantidades de cortisol, que vai prejudicar o bom funcionamento do cérebro.

Então, a motivação para começares o trabalho quando já quase não tens tempo para o terminar, não é a tua melhor performance mas sim uma “recompensa” química — o shot de dopamina que o teu cérebro produz quando consegues concretizar algo num prazo quase impossível.

Dopamina é bom, é um neurotransmissor que para além de ajudar o teu cérebro a funcionar melhor, te faz sentir bem. Mas podes produzir dopamina (e senti-la), assim como outros bioquímicos positivos, sem te maltratares.

Custos

O stress e o ambiente bioquímico por ele criado, provocam um enorme desgaste mental e emocional. É este tipo de desgaste, e não apenas o excesso de trabalho, que levam a que a pessoa entre em burnout, ataques de pânico, desenvolvimento de fobias bastante incapacitantes ou mesmo ruptura física, como AVC ou ataques cardíacos. Isto está a acontecer com pessoas cada vez mais jovens, principalmente estudantes, empreendedores e pessoas com uma vida profissional muito exigente.

A maioria das pessoas não entrará em ruptura mas o stress sempre tem custos altos. Pode ser um estado constante de exaustão, o acordares de manhã já cansado; o pensamento acelerado e dificuldade de concentração; a incapacidade de sentires alegria ou prazer; a irritabilidade constante com tudo e com todos. E muitos sintomas psicossomáticos, como enxaquecas, problemas de sono, sensação de queimadura no estômago, alergias, etc.

Se tens algum problema que os médicos não estão a conseguir resolver, vale a pena experimentares a abordagem holística do counselling, que te leva a trabalhar todas as áreas do teu ser, não só a nível mental e emocional mas também físico, equilibrando hormonas e bioquímicos e trabalhando a neuroplasticidade para te ajudar a desenvolver o teu melhor.

Estilo de vida

Para muitas pessoas, o stress é um estilo de vida, é o modo como que vivem a tempo inteiro. E vivem acreditando que esse é o único modo possível e tentando contagiar outros.

Podes pensar que funcionas muito bem debaixo de stress. Claro, nós conseguimos funcionar até debaixo de stress. Mas o custo é muito alto.

Há outras estratégias, mais eficazes e com menos custos, para realizares ou alcançares o que desejas. No próximo artigo vou partilhar algumas ideias.