O stress não é provocado pelo que te acontece, mas pela maneira como geres as tuas situações e recursos. Então, reduzir o stress passa por fazer uma gestão mais eficaz nas várias áreas da tua vida.

No artigo anterior, referi vários aspetos em que o stress reduz não só o teu bem-estar, mas também a tua saúde física e performance. Neste, vou partilhar algumas ideias simples de pequenas mudanças que podes começar a fazer e que podem ser o início de uma mudança radical na tua vida.

Desacelera

O stress precisa de aceleração para funcionar. Quando estamos em stress, a nossa respiração fica acelerada (hiperventilação), assim como o ritmo cardíaco e o das ondas cerebrais. Todo o nosso interior fica a funcionar num ritmo muitíssimo mais elevado do que é necessário. O stress provoca isso, porque ele precisa dessa aceleração para se manter — provavelmente nunca viste uma pessoa muito mole e preguiçosa a entrar em stress. O corpo físico dessas pessoas é demasiado “lento” para o stress conseguir agarrá-lo.

Então, uma forma básica de reduzir o stress, é simplesmente reduzir a aceleração do corpo. Para isso, podes fazer este exercício simples:

Senta-te num local confortável, em casa ou ao ar livre, onde possas estar uns minutos sem seres interrompido. Começa pela consciência corporal — sente o corpo, a posição em que está, aquilo a que estás encostado, a sensação de começar a relaxar um pouco os músculos físicos, as várias partes do corpo. Depois, concentra-te na respiração durante uns minutos — começa a respirar mais lento e mais profundo, a tomar consciência do ar a entrar e sair dos pulmões, a passar pelas narinas, a sua temperatura, muito devagar. Procura não estar a pensar em nada, ficar apenas com o foco total nas sensações físicas. Toma consciência de como o teu corpo começa a relaxar, também o coração e a mente. Então, podes mudar o teu foco para o ouvido, os sons que consegues escutar à tua volta, passando a tua mente por um som de cada vez. Fica uns minutos a praticar este exercício.

Procura fazer este exercício todos os dias. Pode ser ao início do dia, à noite antes de ires dormir (ajudará a melhorar a qualidade do sono), ou quando sentes que  estás a ficar muito acelerado. Pratica e vai observando os resultados.

… e a eficácia?

Muitas pessoas pensam que têm que ser rápidas para produzir mais e melhor. No entanto, quando começas a trabalhar estratégias de desaceleração e redução de stress, o teu cérebro fica em melhores condições de funcionamento. Rapidez não é eficácia. Muitos dos meus clientes que pensavam assim, passadas algumas semanas de treino de desacelerar e aumentar a eficácia do cérebro, concluem que estão mais produtivos e, para além disso, a ter mais tempo livre.

Mindfulness

Este é um conjunto de exercícios e ferramentas que trabalha essencialmente a capacidade de estar no aqui e agora, e de usufruir das pequenas coisas, ao nível dos sentidos. Ou seja, vamos tirar a mente das memórias do que passou ou das preocupações com o que se vai passar e, durante uns momentos, mantê-la apenas aqui, no momento presente. Ficar uns momentos apenas a tomar consciência da informação que recebes através de um dos sentidos — a visão, o olfacto, o tacto, o ouvido ou o paladar — e a usufruir disso, de forma muito simples e tranquila. Isso vai permitir ao cérebro “arrefecer”, desacelerar um pouco, e começar a produzir mais bioquímicos positivos – endorfinas, dopamina, serotonina, etc — que aumentam o nosso bem-estar e o bom funcionamento do cérebro.

Neste site, podes encontrar mais informação nos artigos sobre Bioquímicos e Mindfulness.

Relativiza

A tendência natural é ficarmos muito incomodados com o que nos acontece no momento. E o nosso corpo reage com a mesma intensidade, a nível de produção de bioquímicos tóxicos e aceleração, tanto para problemas graves como para coisas que simplesmente “não gostamos”.

Então, perante um problema, procura perceber a sua importância. Vale a pena chateares-te com isso? Tenta não reagir com a mesma força em todas as situações; percebe aquilo a que podes não dar importância nem fazer nada e aquilo em que precisas de agir para resolver.

Simplifica

Na tua rotina habitual, tenta simplificar o mais possível. Vê o que podes reduzir ou mesmo eliminar das tuas tarefas habituais. Usa a criatividade para conseguires “ter” mais, gastando menos energia e tempo.

Usufrui

Quando sentes prazer nas pequenas coisas que vais vendo ou que te vão acontecendo, o teu stress diminui, as tuas hormonas vão-se equilibrando, ficas mais capaz de aproveitar a vida, de lidar melhor com os teus relacionamentos, de funcionar melhor no trabalho. Este treino determinado de usufruir, de perceber o lado positivo das coisas, vai afetar todas as áreas da tua vida, mesmo a tua saúde física.

Agradece

Estamos em plena era de direitos (eu tenho os meus direitos!), de copo meio vazio, de querer receber mais do que dar… e as pessoas estão cada vez mais “vazias”, mais stressadas, veem o copo cada vez mais vazio — apesar de estar mais cheio do que alguma vez já esteve na História da Humanidade. Eu não estou a dizer que o teu copo esteja muito cheio ou que tenhas uma vida fácil. Claro que tens dificuldades e problemas; todos temos. Mas, se estás a ler este artigo, provavelmente tens algum mínimo de conforto — não estarás a viver na rua; tens um mínimo de saúde — consegues ver o suficiente para o leres; provavelmente já comeste hoje. Não, isso não é óbvio nem dado adquirido! Na verdade, nada o é. Muitas pessoas não estão tão “bem” como nós. Então, vamos tomar consciência disso, de cada bênção que temos, e desenvolver um espírito de gratidão. Podes crer que isso vai começar a fazer a diferença na tua vida.

Estas são apenas algumas estratégias para começares a reduzir o teu stress. Mas, lembra-te, na perspectiva do counselling, perceberes ou adquirires mais conhecimentos não vai mudar nada na tua vida. É a prática, o teu caminhar, o começares a treinar algumas destas estratégias e perseverares, observando os resultados e continuando a pôr em prática o que vês que te está a ajudar, que realmente vai trazer mudança à tua vida.

Não vale a pena continuares apenas a ser o teu velho eu. As tuas capacidades e possibilidades são muito maiores do que estás a usar.

Se desejas uma mudança em profundidade ou se estás demasiado stressado para conseguires mudar sozinho, na LisboaCounselling podes fazer um treino orientado e acompanhado durante alguns meses. Counselling não é terapia, mas treino de competências que te levará a resolveres o teu problema ou a alcançares o teu alvo.

O primeiro passo na tua mudança, pode ser algo tão simples como enviares-nos uma mensagem. Estamos apenas à distância de um click.