Bullying tem uma dinâmica e características específicas. Para saíres dessa situação, precisas de conhecer essa dinâmica e de desenvolver estratégias eficazes. Em counselling, fazemos com a pessoa que está a ser alvo de bullying, tanto um trabalho de reestruturação interior como de treino de competências específicas para lidar com essa situação, numa abordagem de baixo risco.

No entanto, há algumas coisas simples que podes começar a fazer por ti próprio/a.

 

Passos simples

  • Não fiques sozinho nessa situação. Partilha com alguém de confiança o que está a acontecer.
  • Não permitas que o bully te isole dos teus colegas, amigos e família. Procura manter um bom relacionamento com eles.
  • Não chores nem mostres fraqueza na presença do teu agressor.
  • Não deixes que ele te intimide ou te faça sentir culpado.
  • Não desças ao nível dele. Não entres em diálogo com ele, nem tentes que ele perceba. Este tipo de confronto apenas o estimula a continuar.
  • Prepara-te! Mantém um registo escrito de situações e factos. Uma das estratégias do bully é fazer com que a vítima pareça culpada ou mesmo que tem perturbações mentais.
  • Não corras riscos! Tanto quanto possível, procura manter-te fora do alcance dele.

 

E o futuro?

Muitas vezes perguntam-me: “Esta situação vai passar por si própria, com o tempo?”

Não! Porque haveria de passar? Isto não é nenhuma disfunção, distração ou falta de habilidade do outro. Se ele é um agressor, ele quer continuar a sê-lo. Isto é o hobby dele, o que lhe dá gozo. Ele não vai largar o seu brinquedo preferido.

Então, é a vítima que tem que começar a fazer algo para mudar a situação. Como? Da mesma forma que os soldados treinam antes de irem para a guerra. Se estás a viver uma situação de bullying, em casa, no trabalho, onde for, podes começar a treinar ferramentas e competências específicas para lidares com essa situação, para deixares de ser algo “esmagável” e te tornares uma pessoa, com toda a dignidade e força de um ser humano; para aprenderes a escolher e decidir por ti o que queres, como queres agir, que caminho queres seguir.

Uma situação de bullying é uma guerrilha, implacável e que não tem fim marcado. Tens que saber caminhar nesse campo minado, fazeres o caminho de saída e criares o teu novo percurso de vida.

 

Que tipo de apoio podes encontrar na LisboaCounselling?

O planeamento do trabalho a fazer é sempre individual, caso a caso, consoante as necessidades específicas de cada pessoa e situação. No entanto, há algumas áreas gerais de trabalho:

  • Recapacitação da vítima – treino de ferramentas para desenvolver o bem-estar interior, usando os conceitos do Mindfulness, bioquímicos (produção intencional de hormonas) e neuroprogramação.
  • Eliminação da “aura” de vítima – mudar a imagem interior, de forma a quebrar a probabilidade de, no futuro, vir a cair noutra situação de agressão (ver http://www.lisboacounselling.com/2019/10/25/3-bullying-caracteristicas-da-vitima/ )
  • Cura interior e libertação de pensamentos negativos, memórias, medos, ressentimento, etc.
  • Auto-imagem, auto-confiança e reestruturação pessoal.
  • Resiliência – desenvolver a capacidade de estar bem, independentemente das circunstâncias.
  • Desenvolvimento e treino de competências específicas para lidar com um agressor; identificação de riscos específicos e desenvolvimento de estratégias para os reduzir ou eliminar.
  • Competências de planeamento, visão, tomada de decisão, etc, que permitam tomar decisões informadas, realistas e de baixo risco.

 

Uma situação de bullying não é algo que se “aguente” e pronto. Ela traz uma destruição interior profunda sobre a sua vítima, afetando muitas vezes também aqueles que lhe são queridos, ou contagiando-os a desenvolverem um perfil interior que aumenta imenso a probabilidade de eles também virem a ser vítimas de uma situação idêntica.

Sair dessa situação é assustador, pode ser doloroso, pode parecer totalmente impossível… mas é um novo percurso, que pode ser construído passo a passo.

Se estás a ser alvo de bullying, há um caminho de saída. A escolha é tua.

Nós podemos ajudar. Contacta-nos!

 

Ser agressor é uma opção. Ser vítima também.