Quem nunca passou por uma depressão, não tem como entender. A tristeza é uma emoção natural, que todos experimentamos e da qual saímos. Por isso, não é vista como algo assim tão grave ou impossível de gerir.

Os outros tendem a racionalizar – “o teu problema não é razão para isso”; fazem comparações – “eu já passei por coisas mais graves e não fiquei assim”.

 

Sem sentido

Não adianta tentar entender pela lógica, pois a depressão não é racional, não faz sentido. É algo visceral e tão profundamente enraizado, que amarra e amarfanha todo o nosso ser. Frequentemente, a pessoa não sabe porque se sente assim; só sabe que sente e que não consegue sair.

 

Pressão

A pressão, a cobrança, agravam o problema e tornam a saída muito mais difícil. Qualquer passo para sair da depressão, parece exigir um esforço tremendo. Os “músculos emocionais” estão totalmente definhados; a motivação não existe. Parece um esforço sobre-humano.

A incompreensão dos outros tem no deprimido um impacto muito maior do que teria numa pessoa que estivesse no seu estado normal.

E essa pressão pode vir do próprio deprimido. Os sentimentos de culpa podem existir a tempo inteiro, muitas vezes incentivados pelos outros.

 

Depressão nos homens?

Nos homens, a depressão tem um peso ainda maior. É uma situação menos compreendida, menos aceite. É vista como um sinal de fraqueza e falta de masculinidade.

Então, há uma tendência maior para negar o estado em que está, para não o conseguir reconhecer, o que agrava mais a situação. Muitos homens deprimidos vivem numa solidão profunda. Aqueles que deviam estar ao seu lado, que os deviam apoiar, são os que não compreendem, os que precisam ou exigem que ele esteja bem.

Isto leva a um vazio interior imenso, a uma força interior quase nula. Não há capacidade para pedir ajuda. Não sabe como o fazer sem parecer absurdo ou mariquice. O risco de uma reação negativa do outro, é assustador.

 

A barreira da incompreensão dos outros, pode levar-te a viveres num universo totalmente à parte. A angústia pode ser tão intensa que já não consegues falar, acreditas que não vale a pena dizer nada, por vezes já nem tens palavras para dizer.

 

Impacto nos outros

Para a família de uma pessoa deprimida, a carga também é gigantesca. Há um desgaste enorme, uma sensação de exaustão. Não sabem como ajudar; já tentaram tudo e nada resultou. E também não funciona o ignorar, o simplesmente deixar que ele se organize como quiser. Veem “cara de enterro” o dia inteiro. Sentem-se constrangidos, proibidos de eles próprios estarem bem, ou sentem-se culpados pelo seu bem-estar. Vai deixando de haver conversas normais, risos, momentos leves. É como se a presença de um deprimido, tornasse errado que os outros continuem a ter uma vida normal. Naturalmente, oscilam entre a vontade de ajudar e a ira, a impaciência. Entram em desgaste, muitas vezes em burnout.

É tão importante o deprimido adquirir ferramentas para ultrapassar a sua depressão, como os familiares adquirirem ferramentas para o ajudarem e para manterem ou recuperarem o seu próprio bem-estar.

 

Consequências

A ausência do apoio familiar, o descrédito da incapacidade de o deprimido estar diferente, pode levá-lo a desistir interiormente. Quando há tendências ou pensamentos suicidas, o apoio da família pode fazer a diferença entre a vida e a morte. Num momento de maior angústia ou vazio, a sensação de solidão ou falta de apoio pode levar a pessoa a dar um passo que termine em suicídio, mesmo que essa nunca tenha sido a sua intenção (mais adiante vamos falar sobre isto).

Principalmente em casos mais graves, eu sempre procuro ter o apoio de alguém que esteja próximo do deprimido e disposto a aprender e usar ferramentas que o vão ajudar a ultrapassar a depressão.

 

Se estás a viver com um deprimido, na LisboaCounselling podes aprender e treinar as ferramentas necessárias para o ajudares. Mesmo que ele não reconheça que está em depressão, podes aprender competências para lidares com essa situação e para restaurares as tuas próprias forças e bem-estar.

A depressão é real e difícil. Mas, quer sejas o deprimido, quer sejas um acompanhante, não tens que ficar nesse buraco escuro. Há um caminho de saída. Se precisas de ajuda, contacta-nos.