A depressão tem um caminho de saída, que só tu podes fazer.

Ela está diretamente ligada a formas de pensar, sentir e agir (ou não agir) que levam a esse padrão. Para saíres dela, não tens que perceber as suas causas ou possíveis traumas (podes ver isso nos artigos anteriores), mas sim a sua dinâmica, como ela funciona.

 

Novo estilo de vida

A saída da depressão, passa por desenvolveres novas formas de gerir as tuas circunstâncias e emoções. Precisas de desenvolver ferramentas e competências que te capacitem a fazer isso.

Precisas de identificar o seu “aspeto”, os seus sintomas, e vê-los apenas como isso, sintomas. Perceber a sua dinâmica, que funciona como uma espiral descendente, em que a angústia e os pensamentos vão sendo cada vez mais difíceis de gerir, e aprender a cortar essa descida, trazer o foco para o momento presente, que te permita começar a fazer o caminho de saída. É importante identificares triggers – situações ou pensamentos que desencadeiam um agravamento das emoções, para os poderes gerir.

Passo a passo, precisas de reaprender a sentir prazer, nas coisas simples; e a transformar coisas banais em ferramentas poderosas de restauração de bem-estar e de auto-capacitação.

 

Contínuo vs SOS

É fundamental desenvolveres ferramentas de bem-estar contínuo, que vão desenvolver o teu fortalecimento emocional e aumentar a tua capacidade de estar bem. Da mesma forma que ferramentas a usar durante as crises de maior angústia e plano SOS – como agir quando a angústia agarra de repente. Isto precisa de ser planeado e treinado no dia a dia, para que o consigas usar quando sentes que o teu mundo começa a desabar.

 

Crenças mentirosas

Uma das grandes montanhas contra o deprimido, são as suas crenças mentirosas: “não sou capaz”, “não vou conseguir sair disto”, “a minha vida não vale a pena”, “não há nada que me possa fazer sentir bem”, “todos me detestam”,… Estas crenças corroem a alma da pessoa, roubam a sua capacidade de ser feliz. E não tens que o permitir, que ser escravo delas.

 

Pequenos passos

O trabalho de saída da depressão passa por pequenos passos, pequenas rotinas que vais mudando… mesmo que isso não apeteça. E, pouco a pouco, vai-se tornando mais fácil; essas novas rotinas de bem-estar, vão-se tornando um estilo de vida, tão naturais como comer, dormir ou tomar duche.

Precisas de perceber a tua tendência natural e perceber que é apenas isso, uma tendência; e aprender a lidar com ela.

 

Bioquímicos

Para sair da depressão, é indispensável criar um equilíbrio bioquímico, que permita gerir melhor as emoções. A depressão, provoca um desequilíbrio nas nossas hormonas, produzindo grandes níveis das negativas e reduzindo imenso as positivas. Então, precisas de aprender a produzir essas hormonas, indispensáveis ao teu bem-estar e bom funcionamento – serotonina, endorfinas, dopamina, ocitocina, etc. Elas são produzidas de formas específicas, que precisas de aprender, treinar e incorporar no teu estilo de vida. Assim, vais estar a produzir esses bioquímicos de que precisas, em vez de os estares a tomar sob a forma de medicação. Tens alguns artigos sobre os bioquímicos em http://www.lisboacounselling.com/index/

 

Neuroprogramação

Para haver uma mudança sustentável, é preciso haver uma reprogramação do cérebro, a criação de um novo estilo de cenário e funcionamento mental. Isso passa por deixares de acreditar que vives à mercê da depressão, por começares a “roubar” o poder que a angústia tem sobre ti. Passa por criares e automatizares formas de sentir, pensar e agir mais positivas; por perceberes que tens escolha, que a forma como ages é decisão tua; que sejam quais forem as tuas circunstâncias, podes escolher como queres agir. Passa por aprenderes a influenciar pensamentos e emoções.

 

Mindfulness

A prática de Mindfulness ajuda tanto na gestão dos bioquímicos (reduzir a produção dos negativos e aumentar a dos positivos), como na neuroprogramação, permitindo-nos criar e consolidar programas mentais mais positivos.

 

Counselling

A abordagem de counselling não é simplista nem superficial. Apesar de começarmos por investir em desenvolver o alívio, há todo um trabalho em profundidade de transformação interior. Há uma implementação de ferramentas e competências para sair da depressão, semana a semana, com todo o apoio necessário ao longo do percurso. Para além da depressão, são trabalhadas as várias áreas que estejam difíceis: emoções, relacionamentos, organização pessoal, auto-imagem e auto-confiança, performance, etc.

 

Sair da depressão é um percurso, passo a passo. Ele não “acontece”; tens que ser tu a fazê-lo. Mas é possível. Seja qual for a situação em que estás, podemos começar a criar um caminho de mudança.